Blog dos anjos

1001 segredos angelicais para compartilhar

Lanza del Vasto, um precursor da ecologia

Lanza del Vasto

Lanza del Vasto , discípulo de Gandhi e fundador da Comunidade da Arca, teve um papel importante na difusão do princípio da não-violência no Ocidente. Ele foi responsável pelas primeiras interrogações sobre o pacifismo, o vegetarianismo, a ecologia e o decrescimento.

Quem foi Lanza del Vasto?

Giuseppe Lanza, chamado de Lanza del Vasto, nasceu em 29 de setembro de 1901, de ascendência principesca, na Itália do Norte. Ele faleceu na Espanha, onde morava, no dia 5 de janeiro de 1981.

Doutor em filosofia, ele hesitou durante muito tempo entre vida boêmia e vida espiritual; frequentou os maiores artistas do seu tempo: Max Jacob, Léonor Fini, René Daumal, Henri Michaux, Jules Supervielle… Até um dia de 1948, em que seguindo os conselhos de Romain Rolland, ele foi à Índia, em Wardha, e encontou-se com Gandhi em seu ashram.

A Ahinsa, doutrina da não violência

Shantidas, foi o nome que lhe foi dado por Mahatma Gandhi depois de 3 anos passados ao seu lado. Seu futuro foi decidido naquele dia: ele consagrou sua vida e seus ensinos à ahimsa, a doutrina da não-violência! E ele fez disto um instrumento de transformação espiritual e social.

Retornando à França, onde decidiu morar, Lanza del Vasto publicou em 1943, sua obra principal: “De volta à fonte” que relata sua viagem à Índia e o torna famoso. Uma obra que eu posso apenas recomendar a você, pois ela está em harmonia com minhas próprias opiniões sobre a Espiritualidade.

Lanza del Vasto, o Gandhi do Ocidente

Após a guerra, ele criou a “Comunidade da Arca“, um “ashram” à ocidental ao qual ele dedicou o resto da sua vida, enviando sua mensagem de tolerância, amor e paz ao mundo. Ele jejuou durante 40 dias para pedir ao Papa para posicionar-se contra a guerra. Ele obteve satisfação.

Militante pacificador, ele lutou pela ecologia. E até mesmo pelo que hoje se convém chamar de “decrescimento“. Ele também era um vegetariano convicto. Como Gandhi, ele seguiu o princípio da ahimsa que supõe o respeito de toda vida, incluindo a vida animal.

Agora que você privou o universo desta vida, faça o papel da aranha!

Estas foram as palavras de Lanza del Vasto, para alguém que tinha acabado de esmagar uma aranha à sua frente.

Lanza del Vasto, poeta, peregrino e profeta

Lanza del Vasto parece ter vivido várias vidas em uma só. Mas ele as viveu, todas, com uma filosofia constante resumida no título de uma das suas obras (“Princípios e preceitos do retorno à evidência”): “o elogio de uma vida simples”. Convido você a descobrir sua obra, simples, iluminada e profética.

 

Descubra mais artigos interessantes no blog do Padre: